A revolução 4.0

tacnologia 4.0Esperamos muitos anos para ver cenas de filmes se tornarem realidade em nosso cotidiano. Carros autônomos e hologramas eram coisas distantes, ficavam no imaginário de meninos que brincavam de agentes espaciais. Mas o futuro já chegou, e a revolução começou pela indústria, que agora é chamada de Indústria 4.0. Homem e máquina passam a se integrar em funções conjuntas. Isso gerou grande espanto naqueles meninos sonhadores do passado, que agora precisam usar no seu dia a dia de trabalho toda tecnologia futurista.

Curioso é que entre os séculos XV e XVIII, vivemos a “época moderna”, assim chamada por provocar uma revolução social ao gerar a substituição do modo de produção feudal pelo modo de produção capitalista. Isso impactou muito o setor agrícola com a mecanização e, posteriormente, as máquinas e indústrias surgiram para tudo, com a produção em escala e os trabalhos artesanais foram substituídos.

Pois bem, se esta foi a era moderna, imagina agora com a existência de carros autônomos, aviões não tripulados, assistentes robôs e máquinas que aprendem sozinhas! Impressoras 3D, drones e próteses digitais são apenas o começo desse futuro. Já estamos vivendo a inteligência artificial, a internet das coisas, machine learning e a medicina preditiva. Smartphones já são coisas do passado, papel moeda é desperdício e usar o carro para trabalhar pode estar com os dias contados.

Todo esse cenário está acontecendo por causa das empresas inovadoras, ambientes com alta tecnologia e economia compartilhada. Já não se faz mais nada sozinho e o tempo mudou. Tudo precisa ser ágil e acelerado, e o método colaborativo veio pra ficar. Máquinas continuarão a substituir o esforço físico do ser humano, a criatividade e a capacidade inventiva e analítica serão os maiores atributos dos indivíduos. Em breve, a tecnologia nos ajudará a fazer tarefas complexas e fazendo tudo parecer muito simples, como, por exemplo, ninguém mais sofrerá lesão por esforço repetitivo. É tempo de valorizar a inteligência, afinal, agora é a era das pessoas.

Para entrar no futuro que já esta acontecendo e fazer parte da 4ª revolução industrial, é preciso pensar na coletividade, nas cidades, na relação entre os indivíduos e nos setores produtivos, num ambiente em que haja convergência de propósitos, em um ambiente em equilíbrio onde a inovação é permanente.

Fernando Manhães

*O autor é publicitário e professor do curso de Comunicação Social da Ufes

Fonte: A Gazeta

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*